O despertar das consciências

Por altura dos protestos da Geração à Rasca deixei passar a oportunidade de tocar no assunto por manifesta falta de dedicação ao blog em detrimento de outras ocupações. Quando finalmente a poeira do meu dia-a-dia assentou já a “revolução” tinha passado e voltei a deixar cair no esquecimento aquele que será, por ventura, um dos acontecimentos mais importantes do início do século XXI português: o despertar das consciências de milhões de pessoas que, até aqui, tinham sido movidas por caracóis.
Mas, de um dia para o outro, pareceu que tudo tinha voltado ao normal. Enganei-me. As pessoas que iniciaram tudo isto, numa mesa de esplanada, constituíram um movimento, o M12MMovimento 12 de Março – que pretende continuar com a hercúlea tarefa de não nos deixar adormecer. E mais, deram início a contactos internacionais com outras pessoas e associações que viram no protesto português algo que se pode alastrar por essa Europa fora.
E em Espanha já começou. No passado dia 15 de Maio, em várias cidades espanholas, tiverem lugar uma série de manifestações sob o lema Democracia Real Já que, à semelhança do que se passou por cá, nasceram nas redes sociais e no passa palavra dos SMS’s. E o mais bonito disto tudo é que, também como aconteceu em Portugal, estas correntes de almas em dificuldades, fartinhas até ao cocuruto desta vida para a qual os senhores governantes nos empurram, são completamente apartidárias.
E se por cá se continuam a cozinhar mais projectos, entre eles a interessantíssima proposta de Lei Contra a Precariedade Laboral através de uma Iniciativa Legislativa de Cidadãos, em Espanha o fervilhar ainda continua. Neste preciso momento, na Puerta del Sol estão acampadas milhares de pessoas que juram a pés juntos que não se vão mexer de onde estão, mesmo depois das ameaças veladas dos organismos oficiais que já os instaram a ir dar uma voltinha lá para os lados da casa de cada um deles.
Este movimento, que entretanto foi baptizado como Toma la Plaza, verifica-se em várias cidades espanholas e já se alargou para outras tantas na Europa, entre elas Lisboa, onde um grupo de mais de 200 pessoas está acampado frente ao Consulado de Espanha na capital.
É importante, é um marco e é, acima de tudo, um sinal de que, afinal, alguma coisa pode mudar.
O meu grãozinho de areia é este post e os seguintes links onde tento recolher alguns dos sites onde cidadãos comuns, como eu e como tu, expõem propostas muito, mas mesmo muito válidas.

Vou actualizando a lista à medida que encontre mais locais deste género e espero a vossa contribuição com a indicação de mais sites, blogs, facebook’s, twitter’s ou qualquer outra coisa que contribua para o despertar das consciências.

Publicidade

Sem achegas.

Quer comentar?